Biografia de Vladimir Nabokov

Vladimir Nabokov

Vladimir Nabokov nasceu em São Petersburgo, Rússia, no dia 23 de abril de 1899. Filho de uma família aristocrata teve uma professora francesa e uma governanta inglesa, tornando-se trilíngue antes mesmo de ler e escrever em russo. Com 17 anos, teve seu primeiro livro publicado, “Poems” (1916), uma coleção com 68 poemas escritos em russos. Em 1918 publicou “Tho Paths”, sua segunda coleção de versos.

Fugindo da crise política na Rússia, mudou-se com a família para a Inglaterra, ingressou no Trinity College, em Cambridge e depois de breve passagem pelo curso de zoologia, diplomou-se em literatura russa e francesa, como o primeiro da classe, em 1922. Depois de formado, Nabokov mudou-se para Berlim, Alemanha, para onde sua família se transferiu, dois anos antes, e onde seu pai havia fundado um jornal.

Após a morte de seu pai, Nabokov permanece em Berlim, quando viveu os tempos mais difíceis de sua vida, mas escreve a maior parte de sua obra. Durante os 15 anos que passou em Berlim, ele sobreviveu como professor de línguas, literatura, boxe e tênis. Em 1925, casa-se com Vera Slonim, com quem teve seu único filho, Dmitri. Em 1937, Nabokov deixou a Alemanha e seguiu para a França. Em maio de 1940, fugindo das tropas alemãs que avançavam rumo à França, a família partiu para os Estados Unidos, a bordo do SS Champlain.

Estabelecido em Manhattan, trabalhou no Museu Americano de História Natural, foi professor residente de literatura comparada no Wellesley College, lecionou literatura russa e europeia na Universidade de Cornell. Em 1945, tornou-se cidadão americano. Nessa época, escreveu sua polêmica obra “Lolita” (que virou sinônimo de atração sexual precoce) cuja personagem tinha 12 anos, e o quarentão Humbert Humbert, era submetido a tormentos eróticos e que, por sua vez, dela se aproveitava para liberar fantasias e neuroses. O romance foi recusado por vários editores, e finalmente publicado em Paris, em 1955, e só três anos mais tarde em Nova Iorque.

Lolita tirou Vladimir Nabokov do anonimato, e após o sucesso financeiro da obra, o autor retornou para a Europa, em 1961, se instala em Montreux, Suíça e se dedica exclusivamente à escrita. Escreveu “Ada” (1969), “Fala, Memória” (1967), entre outros. Vladimir Nabokov faleceu em Montreux, Suíça, no dia 2 de julho de 1977.

Acervo: 33 frases e pensamentos de Vladimir Nabokov.

Frases e Pensamentos de Vladimir Nabokov

Nossa existência não é mais que um curto circuito de luz entre duas eternidades de escuridão.

Vladimir Nabokov
209 compartilhamentos

Ao homem livre não faz falta um deus.

Vladimir Nabokov
101 compartilhamentos

Parece-me que na escala das medidas universais há um ponto em que a imaginação e o conhecimento se cruzam, um ponto em que se atinge a diminuição das coisas grandes e o aumento das coisas pequenas: é o ponto da arte.

Vladimir Nabokov
48 compartilhamentos

Tinha sido amor à primeira vista, à última vista, às vistas de todo o sempre.

Vladimir Nabokov
161 compartilhamentos

Lolita, luz da minha vida, fogo da minha virilidade. Meu pecado, minha alma. Lo-li-ta: a ponta da língua faz uma viagem de três passos pelo céu-da-boca abaixo e, no terceiro, bate nos dentes. Lo. Li. Ta. Pela manhã, um metro e trinta e dois a espichar dos soquetes; era Lo, apenas Lo. De calças práticas, era Lola. Na escola, era Dolly. Era Dolores na linha pontilhada onde assinava o nome.
Mas nos meus braços era sempre Lolita.

Vladimir Nabokov
41 compartilhamentos