Biografia de Tobias Barreto

Tobias Barreto

Tobias Barreto nasceu na vila de Campos do Rio Real, hoje Tobias Barreto, em Sergipe, no dia 7 de junho de 1839. Especializou-se em latim e deu aulas em Itabaiana. Em 1863 ingressou no cursou de Direito na Faculdade do Recife. Foi o líder do movimento, de caráter sociológico e cultural, conhecido como Escola do Recife, que agitou a Faculdade de Direito do Recife.

Nessa época, entre os alunos da faculdade estavam Rui Barbosa, Joaquim Nabuco e Castro Alves, com quem mantinha acirrados duelos poéticos. Tobias escreveu inúmeros tratados científicos influenciando seus discípulos com seu espírito revolucionário, uma vez que contestou as linhas gerais do pensamento jurídico dominante e tentou fazer um entrosamento entre a Filosofia e o Direito.

Depois de formado passou 10 anos morando na cidade de Escada, na zona açucareira de Pernambuco. Foi Eleito para a Assembleia Provincial. Deixou só um volume de poesias “Dias e Noites” (1881), mas sua importância, na época romântica, reside nos aspectos renovadores do pensamento brasileiro e na arrojada intelectualidade. É patrono da cadeira nº 38 da Academia Brasileira de Letras.

Tobias Barreto voltou para a cidade do Recife, onde passou a lecionar na Faculdade de Direito. Apesar de ter vivido até as vésperas da República, não se envolveu com os movimentos republicanos. Faleceu no Recife, Pernambuco, no dia 26 de junho de 1889.

Acervo: 9 frases e pensamentos de Tobias Barreto.

Frases e Pensamentos de Tobias Barreto

Amar é fazer o ninho, que a duas almas contém, ter medo de estar sozinho, dizer com lágrimas: vem, Flor, querida, noiva, esposa...

Tobias Barreto

A gratidão é a virtude da posteridade.

Tobias Barreto
Inserida por pensador

Só é grande a liberdade que sacode a majestade e arranca a juba dos reis!...

Tobias Barreto
Inserida por pensador

Não faço mistério de minha fé filosófica: - eu sou materialista no bom sentido da palavra.

Tobias Barreto
Inserida por pensador

A Escravidão

Se Deus é quem deixa o mundo
Sob o peso que o oprime,
Se ele consente esse crime,
Que se chama a escravidão,
Para fazer homens livres,
Para arrancá-los do abismo,
Existe um patriotismo
Maior que a religião.

Se não lhe importa o escravo
Que a seus pés queixas deponha,
Cobrindo assim de vergonha
A face dos anjos seus,
Em seu delírio inefável,
Praticando a caridade,
Nesta hora a mocidade
Corrige o erro de Deus!...

Tobias Barreto
Inserida por pensador