Biografia de Sá de MIranda

Sá de MIranda

O poeta Francisco de Sá de Miranda nasceu em Coimbra, Portugal, no dia 28 de agosto de 1481. Filho de Gonçalo Mendes de Sá, cônego da Sé de Coimbra, e de Inês de Melo, de família nobre de Barcelos, era meio irmão de Mem de Sá, o terceiro governador-geral do Brasil. Formou-se em Direito pela Universidade de Lisboa, e frequentava os serões da corte.

Doutor Francisco de Sá escreveu poesias em diversos gêneros medievais como as cantigas e os vilancetes (poemas curtos de caráter campesino). Treze de seus poemas, à maneira dos trovadores da época, foram publicados em “Cancioneiro Geral”, em 1516, onde Garcia Resende, frequentador da corte, reuniu poesias escrita desde 1450.

Depois de uma viagem à Itália onde passou seis anos e entrou em contato com os intelectuais do Renascimento, incorporou à sua poesia o “dolce stil nuovo”, como eram denominados os novos conceitos de arte e o novo ideal de poesia. Em 1527 publicou “Os Estrangeiros”, uma comédia em prosa, que inaugurou o “Classicismo em Portugal”, gênro que se prolongou até 1580, com a morte de Camões.

Além de versos, Sá de Miranda escreveu a tragédia “Cleópatra” e cartas, entre elas a “Carta a D. João III”. Sá de Miranda faleceu em Tapada, no Minho, Portugal, no dia 17 de maio de 1558.

Acervo: 1 frases e pensamentos de Sá de MIranda.

Frases e Pensamentos de Sá de MIranda

Cantiga sua

Comigo me desavim,
Sou posto em todo perigo,
Não posso viver comigo
Nem posso fugir de mim.

Com dor da gente fugia
Antes que esta assim crescesse,
Agora já fugiria
De mim, se de mim pudesse.
Que meio espero ou que fim
Do vão trabalho que sigo,
Pois que trago a mim comigo
Tamanho inimigo de mim?

Sá de MIranda
103 compartilhamentos