Biografia de Pagu

Pagu

Pagu nasceu em São João da Boa Vista, em São Paulo, no dia 9 de junho de 1910. Considerada uma jovem rebelde para os padrões da época, defendia a participação da mulher na sociedade e na política. Com 15 anos já colaborava com o um jornal, com o pseudônimo de Patsy. Com 18 anos formou-se professora. Em 1930 causou escândalo na sociedade quando Oswald de Andrade se separou de Tarsila e passa a viver com ela, já grávida de seu primeiro filho.

Após conhecer Carlos Preste se filiou ao Partido Comunista Brasileiro. Recebeu o apelido de Pagu, do poeta Raul Bopp, que por engano pensou que seu nome era Patrícia Goulart. Em 1931 fundou, junto com Oswald de Andrade, o jornal “O Homem do Povo” que apoiava a esquerda revolucionária. Ao participar de uma greve de estivadores, em Santos, é presa pela polícia de Getúlio Vargas.

Em 1933, sob o pseudônimo de Maria Lobo, publica “Parque Industrial”. Nesse mesmo ano, correspondente de diversos jornais, vai aos Estados Unidos, Japão, China e União Soviética. Em 1935, filia-se ao Partido Comunista da França, quando é presa em Paris, como comunista estrangeira. Com identidade falsa volta ao Brasil. Separa-se de Oswald e retorna a suas atividades jornalísticas. Durante a Intentona Comunista é novamente presa, torturada e passa cinco anos na prisão.

Em 1940, ao ser solta tenta o suicídio. Rompe com o partido comunista e ingressa na redação do jornal “A Vanguarda Socialista”. Em 1945 casa-se com o jornalista Geraldo Galvão Ferraz. Em 1946 passa a colaborar com diversos jornais. Com o pseudônimo de “King Shelter” escreve contos de suspense para a revista “Detetive”, dirigida por Nelson Rodrigues.

Em 1952 entra para a Escola de Arte Dramática de São Paulo. Dedica-se ao incentivo de grupos amadores de teatro. Lidera a campanha para a construção do Teatro Municipal. Funda a Associação dos Jornalistas Profissionais e Cria a União do Teatro Amador de Santos. Em 1962 publica o poema “Nothing”, no jornal A Tribuna. Falece em Santos, São Paulo, no dia 12 de dezembro de 1962.

Acervo: 16 frases e pensamentos de Pagu.

Frases e Pensamentos de Pagu

"A satisfação intelectual não me basta... a ação me faz falta!"

Pagu
59 compartilhamentos

"Esse crime, o crime sagrado de ser divergente, nós o cometeremos sempre"

Pagu
67 compartilhamentos

"Tenho várias cicatrizes, mas estou viva. Abram a janela. Desabotoem minha blusa. Eu quero respirar"

Pagu
71 compartilhamentos

"Lembro minha submissão absoluta. Não ao homem. Ao amor."

Pagu
45 compartilhamentos

Sonhe, tenha até pesadelo se necessário for, mas sonhe.

Pagu
70 compartilhamentos