Biografia de Osho

Osho

Quem foi Osho?

Rajneesh Chandra Mohan Jain (1931-1990), também conhecido como Bhagwan Shree Rajneesh ou Osho foi um líder espiritual indiano, professor de filosofia e mestre de meditação. Ele foi o fundador de um movimento espiritual que ganhou proporção internacional e foi autor de mais de 600 livros.

A ascensão da filosofia de Osho na Índia

Osho nasceu no Distrito Raisen, na Índia, no dia 11 de dezembro de 1931. Histórias de sua infância revelam que Osho era um jovem independente e rebelde que questionava a sociedade, a religião e as crenças filosóficas estabelecidas na época. 

Na juventude, Osho experimentou diversas técnicas de meditação e diz ter atingido a iluminação com 21 anos de idade. Ele se formou em filosofia na Universidade de Sagar e foi professor da matéria na Universidade de Jabalpur até o ano de 1966. 

Durante este período, Osho também viajava pela Índia dando palestras sobre espiritualidade e meditação e começou a reunir discípulos por todo o país. Na década de 1970, a filosofia de Osho começou a se configurar como uma nova religião. 

Em 1971, ele mudou o seu nome para Bhagwan Shree Rajneesh, que em sânscrito significa “Rajneesh, o senhor abençoado”. Seus discípulos, chamados de neosanias, adotaram o uso de vestimentas alaranjadas e utilizavam uma medalha com a fotografia do guru. 

Em 1974, Osho e seus discípulos se estabeleceram em um centro de meditação em Puna, cidade do estado de Maharashtra, na Índia. Neste período, Osho publicou inúmeros livros e começou a atrair cada vez mais a atenção de seguidores ocidentais, que iam para o país em busca das palavras e ensinamentos do guru. 

Na comunidade formada na cidade de Puna, Osho dava longos discursos sobre os mais variados temas espirituais, oferecendo reflexões sobre questões como o yoga, o taoísmo, filosofias de religiões tradicionais e também realizava workshops sobre técnicas de meditação. 

O centro também ficou internacionalmente conhecido por suas terapias de grupo, onde combinava técnicas asiáticas com técnicas ocidentais de psicoterapia.

Wild Wild Country: a comunidade de Osho em Oregon

Em 1981, Osho e seus seguidores se mudaram para o deserto do Oregon, nos Estados Unidos. O objetivo era internacionalizar ainda mais a comunidade que se criou em torno do guru. Neste período, ele também desenvolveu um condição degenerativa nas costas e iria se tratar no país.

Com as doações de seguidores milionários, foi criada a cidade de Rajneeshpuram, uma comunidade rural que eventualmente ofereceu serviços para cerca de cinco mil residentes. Festivais de verão também eram realizados anualmente, reunindo 15.000 visitantes de todas as partes do mundo. 

Este período da vida de Osho foi explorado na minissérie documental da Netflix Wild Wild Country, que revelou os conflitos da comunidade com os moradores das cidades próximas. O documentário apresenta também a história de uma das líderes espirituais da comunidade, Ma Anand Sheela, que tentou influenciar a eleição do condado local para ter maior influência na região onde a cidade de Osho se estabeleceu. 

Trailer do documentário "Wild Wild Country":

O declínio da comunidade estabelecida no Oregon veio com a exposição de atos ilegais cometidos pelos seguidores de Osho, tais como envenenamento, escuta telefônica ilegal, incêndio criminoso, tentativa de assassinato e fraude de imigração. 

Osho e outros seguidores acabaram sendo detidos e a história teve uma ampla cobertura midiática na época. Em 1985, o guru se declarou culpado por fraude de imigração e acabou sendo deportado dos Estados Unidos. Neste período, ele foi proibido de entrar em 21 países e acabou retornando para Puna, onde se estabeleceu em um novo centro espiritual para 15.000 membros.

O Legado de Osho 

Foi em 1989, um ano antes de sua morte, que o líder adotou o nome budista Osho, em referência a uma palavra relacionada a “oceano”. O centro estabelecido ficou então conhecido como OSHO International Meditation Resort, que está em atividade até os dias de hoje. 

Osho foi sobretudo um guru espiritual polêmico e era considerado por muitos como uma figura politicamente incorreta. Ele ganhou o apelido de “guru do sexo” na mídia por promover a liberdade sexual e o amor livre. Ele também defendia uma nova maneira de experienciar a espiritualidade, sem que fosse necessário abandonar o acúmulo ou negar vícios. Essa ideias estão geralmente em contraposição a filosofia de muitas religiões tradicionais e por isso foram consideradas revolucionárias para a época. 

O guru espiritual foi descrito pelo jornal Sunday Times como um dos 1.000 influenciadores do século XX e o escritor norte-americano Tom Robbins o descreveu como o “homem mais perigoso desde Jesus Cristo”.  

Sobre o próprio trabalho, Osho disse que estava ajudando a criar condições para o nascimento de um novo ser humano, denominado “Zorba, o Buda”. Ele disse que este ser humano seria capaz de aproveitar os prazeres terrenos, tal como Zorba, o grego, quanto a serenidade silenciosa de Buda. 

Os livros de Osho, assim como os seus ensinamentos, foram transcritos através de gravações e vídeo palestras que ele deu por toda a sua vida. Os mais de 600 livros foram publicados em 57 idiomas e muitos títulos podem ser encontrados em português. 

“O que quer que eu esteja dizendo não é apenas para vocês. Estou falando também para as futuras gerações.”

Acervo: 353 frases e pensamentos de Osho.

Frases e Pensamentos de Osho

Sempre que houver alternativas, tenha cuidado. Não opte pelo conveniente, pelo confortável, pelo respeitável, pelo socialmente aceitável, pelo honroso.
Opte pelo que faz o seu coração vibrar. Opte pelo que gostaria de fazer, apesar de todas as consequências.

O RIO E O OCEANO

Diz-se que, mesmo antes de um rio cair no oceano ele treme de medo.
Olha para trás, para toda a jornada, os cumes, as montanhas,
o longo caminho sinuoso através das florestas, através dos
povoados, e vê à sua frente um oceano tão vasto que entrar
nele nada mais é do que desaparecer para sempre.
Mas não há outra maneira. O rio não pode voltar.
Ninguém pode voltar. Voltar é impossível na existência. Você
pode apenas ir em frente.
O rio precisa se arriscar e entrar no oceano.
E somente quando ele entra no oceano é que o medo
desaparece.
Porque apenas então o rio saberá que não se trata de
desaparecer no oceano, mas tornar-se oceano.
Por um lado é desaparecimento e por outro lado é
renascimento.
Assim somos nós.
Só podemos ir em frente e arriscar.
Coragem! Avance firme e torne-se Oceano!

A palavra coragem é muito interessante. Ela vem da raiz latina cor, que significa "coração". Portanto, ser corajoso significa viver com o coração. E os fracos, somente os fracos, vivem com a cabeça; receosos, eles criam em torno deles uma segurança baseada na lógica. Com medo, fecham todas as janelas e portas – com teologia, conceitos, palavras, teorias – e do lado de dentro dessas portas e janelas, eles se escondem.

O caminho do coração é o caminho da coragem. É viver na insegurança, é viver no amor e confiar, é enfrentar o desconhecido. É deixar o passado para trás e deixar o futuro ser. Coragem é seguir trilhas perigosas. A vida é perigosa. E só os covardes podem evitar o perigo – mas aí já estão mortos. A pessoa que está viva, realmente viva, sempre enfrentará o desconhecido. O perigo está presente, mas ela assumirá o risco. O coração está sempre pronto para enfrentar riscos; o coração é um jogador. A cabeça é um homem de negócios. Ela sempre calcula – ela é astuta. O coração nunca calcula nada.

O silêncio também fala, fala e muito! O silêncio pode falar mesmo quando as palavras falham.

Esqueça essa história de querer entender tudo.
Em vez disso, viva,
em vez disso, divirta-se!
Não analise, celebre!