Biografia de Francisco de Goya

Francisco de Goya

Francisco de Goya nasceu em Fuentedetodos, Província de Saragoça, na Espanha, no dia 30 de março de 1746. Seu pai era um dourador de estátuas e de livros e sua mãe descendente de nobre família de Saragoça, que através do filho, sonhava com a volta do antigo esplendor da família. Com 13 anos Francisco foi entregue aos cuidados do pintor de grande prestígio em Saragoça: Dom José Martínez.

Em 1762 foi para Madri, e durante dois anos concorreu para conseguir uma bolsa de estudos na Academia de Belas Artes, mas foi rejeitado. Em 1770 embarca para a Itália. Inscreve-se no concurso da Academia de Belas Artes de Parma, recebe uma menção honrosa. Volta para Saragoça e surgem várias encomendas. Pinta afrescos na parede da Igreja de Nossa Senhora do Pilar. Decora os muros do Convento Aula Dei e pinta as figuras de santos da igreja de Ramolinos.

Em 1774 é introduzido junto ao pintor do rei. Durante quatro anos pinta uma série de cartões que servirão para a execução de tapeçarias para o Palácio do Prado, do príncipe de Astúrias. Em 1780 é eleito membro da Academia de Arte São Francisco em Madri, que o havia rejeitado duas vezes. Em 1789 é nomeado “Pintor da Câmara do Rei”, o pintor oficial do monarca e de sua família.

Em 1792, contrai uma doença infecciosa, se salva, mas perde a audição e com ela a vivacidade e o dinamismo. Quando pinta seu “Autorretrato” (1794) está triste e envelhecido. Em 1800 pinta “A Maja Desnuda”, mas com a pressão da sociedade refez o quadro com o mesmo modelo e surge “A Maja Vestida” (1805), ambas estão no Museu do Prado, em Madri.

Em 1808, a Espanha é invadida pelos franceses. Nessa época, Goya pinta uma série de quadros de guerra, entre eles, “Três de Maio” (1808), “Fuzilamento num Acampamento Militar” (1810) e a série de gravuras denominadas “Desastre da Guerra” que inicia depois de se refugiar em sua casa de campo, desesperançado com a volta de Fernando VII ao poder. Faz uma série de “Pinturas Negras”, nas paredes de sua casa, entre elas, “Saturno Devorando Seu Filho” (1823). Acusado de liberalismo parte para Bordeaux, na França, onde falece em 16 de abril de 1828.

Acervo: 2 frases e pensamentos de Francisco de Goya.

Frases e Pensamentos de Francisco de Goya

O sonho da razão produz monstros.

Francisco de Goya
22 compartilhamentos

"La fantasía, aislada de la razón, solo produce monstruos imposibles. Unida a ella, en cambio, es la madre del arte y fuente de sus deseos"

Francisco de Goya