Biografia de Fiódor Dostoiévski

Fiódor Dostoiévski

Fiódor Dostoiévski (1821-1881) foi um dos maiores escritores da literatura russa. "Os Irmãos Karamázov" e "Crime e Castigo" são obras-primas da literatura.

Fiódor Dostoiévski nasceu em Moscou, no dia 11 de novembro de 1821. Em 1837 fica órfão de mãe e, em 1939, seu pai é assassinado. Ingressou na Escola de Engenharia Militar de São Petersburgo. Dedicou-se à leitura dos grandes escritores da época.

Em 1843, conclui seus estudos. No ano seguinte traduz a obra “Eugènie Grandet” de Honoré de Balzac, e “Dom Carlos” de Schiller. Em 1846 publica seu primeiro romance “Pobre Gente”, novela que retrata o povo humilde de São Petersburgo. Em 1847 publica a segunda edição de "Pobre Gente”.

Nesse mesmo ano engaja-se na luta da juventude democrática russa, no combate ao regime do Czar Nicolau I. No ano seguinte é preso e condenado à morte, mas teve sua pena substituída por trabalhos forçados na Sibéria, onde passou quatro anos preso e cinco como soldado russo. Em 1859 retorna para São Petersburgo e relata essa experiência nas obras “Recordações da Casa dos Mortos” (1861) e “Memórias do Subsolo” (1864).

Fiódor Dostoiévski era um escritor profundamente religioso, seus romances não só abordavam questões existenciais, culpas, suicídio e estados patológicos, como tinha predileção pelo fantástico, pela sátira e pela comédia. Também não hesitava em lidar com as grandes questões políticas e religiosas. Escreveu: “Crime e Castigo” (1867), “O Idiota” (1868), “Os Demônios” (1872), “Os Irmãos Karamázov” (1880), entre outras. O escritor faleceu em São Petersburgo, no dia 9 de fevereiro de 1881.

Acervo: 179 frases e pensamentos de Fiódor Dostoiévski.

Frases e Pensamentos de Fiódor Dostoiévski

Conhecemos um homem pelo seu riso; se na primeira vez que o encontramos ele ri de maneira agradável, o íntimo é excelente.

Fiódor Dostoiévski
1.1 mil compartilhamentos

A maior felicidade é quando a pessoa sabe porque é que é infeliz.

Fiódor Dostoiévski
990 compartilhamentos

Tenho de proclamar a minha incredulidade. Para mim não há nada de mais elevado que a ideia da inexistência de Deus. O homem inventou Deus para poder viver sem se matar.

Fiódor Dostoiévski
492 compartilhamentos

Quanto mais gosto da humanidade em geral, menos aprecio as pessoas em particular, como indivíduos.

Fiódor Dostoiévski
518 compartilhamentos

Não há assunto tão velho que não possa ser dito algo de novo sobre ele.

Fiódor Dostoiévski
306 compartilhamentos