Biografia de Doris Lessing

Doris Lessing

Doris Lessing, nasceu em Kermanshah, na Pérsia, na região que é hoje o Irã, no dia 22 de outubro de 1919. Filha de um soldado da I Guerra e de uma enfermeira cresceu na colônia britânica da Rodésia do Sul, atual Zimbábue, na África. Foi aluna interna do Convento Dominicano de Salisbúria. Com 14 anos abandonou os estudos e teve vários empregos, época em que se interessou pela leitura de artigos sobre política e sociologia.

A partir de 1949, depois de deixar pra trás dois casamentos e dois filhos, foi viver em Londres levando o filho que teve com o alemão Gottfried Lessing, e manteve o sobrenome Lessing. Em 1950 publicou seu primeiro livro “A Canção da Relva”. Entre 1952 e 1956 militou no Partido Comunista e participou de campanhas públicas contra as armas nucleares e contra o regime de Apartheid na África do Sul.

Em 1962 escreveu “O Carnê Dourado”, que foi considerado um marco do feminismo na literatura. Recusava constantemente as classificações de “escritora feminista” e de “autora de esquerda”. Em mais de cinquenta livros publicados, explorou diversos tipos de conflitos sociais e existenciais, entre eles, a tensão permanente entre os sexos, os preconceitos de classe e etnia, os embates ideológicos etc.

Em 1985 publicou “A Bela Terrorista”, sob o pseudônimo de Jane Somers. Em 1994 publicou o primeiro volume da autobiografia “Debaixo de Minha Pele”. Em 2001 recebeu o Prêmio Príncipe de Astúrias e em 2007 o Prêmio Nobel de Literatura, se tornando a pessoa mais idosa a receber essa premiação. Faleceu em Londres, Inglaterra, no dia 17 de novembro de 2013.

Acervo: 9 frases e pensamentos de Doris Lessing.

Frases e Pensamentos de Doris Lessing

Quem vivenciou a Segunda Guerra Mundial ,sabe que 11 de setembro foi uma coisa terrível mas não foi pior do que muitas outras coisas.

Doris Lessing
3 compartilhamentos

Uma coisa é sentar aqui pondo as palavras num papel e passando, pelo menos, cinquenta pensamentos para cada palavra - portanto de que vale mandá-la se não posso mandar os pensamentos - um em cinquenta - tão diluídos...
(Roteiro para um passeio ao inferno)

Doris Lessing
3 compartilhamentos

Não confie em nenhum amigo sem defeitos, e ame uma mulher, não um anjo.

Doris Lessing
2 compartilhamentos

Todos os homens fazem cavernas de sombras para os olhos,
Com chapéus e mãos, órbitas, pestanas, testas,
Para as delicadas pupilas ousarem olhar para a Luz.

Nas terras do norte também, onde a luz não tem sombra,
O homem ergue a mão para proteger a vista;
É coisa que já vi fazerem no luar forte.

Diante de qualquer clarão muito forte, essa mão vigente
Corre ao seu posto, fazendo um escuro;
Como os do gato, os olhos do homem ficam grandes e suaves de noite.

São olhos novos, ainda não habituados a ver.
Absorvendo facetas, individuais,
Ainda sem habilidade para os usarem redondos e certos.

Pensem: animais de quatro nós éramos, baixos,
Com o olhar horizontal bem guardado
Daquela claridade vibrante, chamejante de arder os olhos.

Porém tinha de vir esse dia inevitável:
Um animalzinho valente ergueu a pata ao galho,
Puxou-se para cima - e cambaleou à sua altura.

Nossos bebês humanos nos mostraram como foi.
Eles escalam; nós, vigilantes,
Deixamos que aprendam a loucura de seu susto.

Naquela primeira aventura, a luz desceu em saudação,
De igual a igual, um faiscar na mente,
E o animal pensou ser "anjo" - como bem podíamos.

Uma pata, livre da terra, agarrava-se ao galho liso;
A outra, liberta, esperava, enquanto os olhos
Erguiam-se afinal ás aves e nuvens voando.

E assim ele se equilibrou ali, um animal de pé.
E o anjo, poupando o que ele mal ganhara,
Levantou aquela mão inerte para proteger sua vista,
Naquele gesto mais comum que é feito.
O homem não pode olhar diretamente para o sol.
(Roteiro para um passeio ao inferno)

Doris Lessing
Inserida por narizcelo
1 compartilhamento

A verdade é que nós... só podemos torelá-los enquanto eles obedecem às instruções, resolverem seus negócios, sua vida em comum, de modo a adaptar-se às necessidades do Sistema. Mas eles parecem não conseguir guardar por muito tempo essa verdade simples, embora isso lhes tenha sido repetido várias vezes, e isso por causa de uma outra característica muito poderosa do pensamento deles, que é que tudo o que lhes dizem é distorcido para se adaptar a seus próprios preconceitos pessoais ou de grupo, e depois acrescentado, com mais uma pedrinha, às meias verdades que eles já cultivam. Portanto, esperamos, confiantes - ou poderíamos ter esperado no passado, antes desse grande e atual... passo à frente, sob a influência do Vento Solar da Mudança... o dever humano como parte da Harmonia - estará correndo como um cão danado, estará distorcido completamente, logo se tornará propriedade de cem seitas em luta, cada qual alegando que a sua versão é a correta. Mas esse tempo já passou, ou quase. A capacidade de ver as coisas como elas são, em suas múltiplas relações - em outras palavras, a Verdade - será parte do novo equipamento da humanidade, que em breve será criado. Graças, naturalmente, não a Nós, mas a...
(Roteiro para um passeio ao inferno)

Doris Lessing
Inserida por narizcelo
1 compartilhamento