Biografia de Dias Gomes

Dias Gomes

Dias Gomes nasceu em Salvador, Bahia, no dia 19 de outubro de 1922. O começo de sua carreira se deu no teatro, nas décadas de 30 e 40. Por ser considerado comunista, teve sua peça “Pé de Cabra” (1942) censurada pelo Estado Novo. As temáticas sociais faziam parte de sua obra – marca que se manteria mesmo quando ele passou a produzir novelas e séries, em plena ditadura militar.

A partir do “Pagador de Promessas” (1962), que se tornou sucesso em diferentes momentos como peça, filme e minissérie, o dramaturgo passou a ser reconhecido pela crítica social. O longa-metragem de "O Pagador de Promessas", que ele mesmo adaptou para o cinema em 1962, recebeu a Palma de Ouro do Festival de Cannes.

Na TV, por influência da esposa e novelista Janete Clair, ele estreou em 1969, com a novela “A Ponte dos Suspiros”. Apesar da censura, colecionou sucessos como “Bandeira 2” (1971-72), “O Bem Amado”(1973), “O Espigão” (1974), “Saramandaia” (1976), com o célebre prefeito Odorico Paraguaçu, e “Roque Santeiro” que só foi ao ar em 1985, pois a primeira versão foi censurada pela ditadura militar e impedida de ir ao ar em 1975.

Fez sucesso com a série “Carga Pesada” (1979-81). Em 1991 foi eleito para a cadeira nº 21 da Academia Brasileira de Letras. No final de sua carreira passou a se dedicar aos textos mais breves. Escreveu a minissérie “Decadência” (1995). Faleceu em um acidente de carro, em São Paulo, no dia 18 de maio de 1999.

Acervo: 4 frases e pensamentos de Dias Gomes.

Frases e Pensamentos de Dias Gomes

Quem não veio incomodar, não devia ter nascido

Dias Gomes

Até quando as fogueiras reais ou simplesmente morais (estas não menos cruéis) serão usadas para eliminar aqueles que teimam em fazer uso da liberdade de pensamento?

(O Santo Inquérito)

Dias Gomes
Inserida por EmOutrasPalavras

Acho que as boas ações só valem quando não são calculadas. E Deus não deve levar em conta aqueles que praticam o bem só com a intenção de agradar-Lhe. (...) Não foi querendo agradar a Deus que eu me atirei no rio para salvá-lo. Foi porque isso me deixaria satisfeita comigo mesma. Porque era um gesto de amor ao meu semelhante. E é no amor que a gente se encontra com Deus. No amor, no prazer e na alegria de viver.
(O Santo Inquérito)

Dias Gomes
Inserida por EmOutrasPalavras

Não há nada mais próximo do ódio do que o amor dos humildes pelos poderosos, o culto dos oprimidos pelos opressores.

(O Santo Inquérito)

Dias Gomes
Inserida por EmOutrasPalavras