Biografia de Cartola

Cartola

Cartola nasceu no bairro do Catete, Rio de Janeiro, no dia 11 de outubro de 1908. Foi criado em Laranjeiras, onde estudou o curso primário. Mudou-se para o morro da Mangueira, onde passou a frequentar a boemia e as rodas de samba. Tocava violão e cavaquinho. Trabalhou como tipógrafo e pedreiro. Por estar sempre usando chapéu recebeu o apelido de Cartola. Com 18 anos, saiu de casa e foi morar com Deolinda.

Foi um dos fundadores da escola de samba Estação Primeira de Mangueira, criada em 28 de abril de 1928, tendo sugerido o nome e as cores da escola, o verde e o rosa. Foi o autor do primeiro samba da Mangueira, intitulado “Chega de Demanda”.

Na década de 30, Cartola compôs várias músicas que foram gravadas por Francisco Alves, Carmem Miranda, Silvio Costa e Araci de Almeida. Em 1940, criou com Paulo Portela, o programa Voz do Morro, onde apresentava sambas inéditos. No ano seguinte, com a morte de Deolinda, Cartola deixa o morro da Mangueira e se afasta do meio musical. Para sobreviver, lavava carro e trabalhava como vigia.

Em 1956, Cartola foi resgatado pelo jornalista Sérgio Porto, para retomar a carreira de músico e compositor. Nessa época, volta ao morro da Mangueira, levado por Dona Zica, com quem se casaria mais tarde. Em 1961, sua casa tornou-se ponto de encontro de sambistas. Em 1965, viu sua música “O Sol Nascerá”, ser cantada por Nara Leão, no show Opinião.

Em 1974, com 66 anos, Cartola gravou seu primeiro disco intitulado “Cartola”, recebendo vários prêmios. Em 1976, grava o segundo LP, onde incluiu a música “As Rosas Não Falam”, uma das suas mais famosas composições. Cartola faleceu no Rio de Janeiro, no dia 30 de novembro de 1980.

Acervo: 20 frases e pensamentos de Cartola.

Frases e Pensamentos de Cartola

Não quero mais amar a ninguém
Não fui feliz, o destino não quis
O meu primeiro amor
Morreu como a flor
Ainda em botão,
Deixando espinhos
Que dilaceram meu coração

Cartola
4.2 mil compartilhamentos

O Mundo é um Moinho

Ainda é cedo, amor
Mal começaste a conhecer a vida
Já anuncias a hora de partida
Sem saber mesmo o rumo que irás tomar

Preste atenção, querida
Embora eu saiba que estás resolvida
Em cada esquina cai um pouco a tua vida
Em pouco tempo não serás mais o que és

Ouça-me bem, amor
Preste atenção, o mundo é um moinho
Vai triturar teus sonhos, tão mesquinho
Vai reduzir as ilusões a pó

Preste atenção, querida
De cada amor tu herdarás só o cinismo
Quando notares estás à beira do abismo
Abismo que cavaste com os teus pés

Cartola
177 compartilhamentos

Amar sem penar é bem raro
O verbo cumprir custa caro
Amor é bem fácil achar
O que acho mais difícil
É saber amar

Cartola
331 compartilhamentos

As rosas não falam, simplesmente exalam o perfume que roubaram de ti.

Cartola
226 compartilhamentos

E o tempo avança e a gente agradece..pela vida. Vida de sonhos, verdades, alegrias, de dores, amores e luz. Tenta, mesmo que ao momento seja só lembranças. Viva de forma que seja mistério, incetezas, de luta, de paz e de amor.

Cartola
277 compartilhamentos