Biografia de Albert Camus

Albert Camus

Albert Camus (1913-1960) foi um escritor, jornalista, dramaturgo, romancista e filósofo argelino. Recebeu o Prêmio Nobre de Literatura em 1957 por sua importante produção literária.

Albert Camus nasceu em Mondovi, na Argélia, na época da colonização francesa, no dia 7 de novembro de 1913. Filho de pai francês e de mãe espanhola ficou órfão de pai em 1914. Fez seus primeiros estudos em Argel, onde trabalhou como vendedor de acessórios de automóvel, meteorologista, empregado de escritório de corretagem marítima e na prefeitura. Com o incentivo de alguns professores formou-se em filosofia e conclui o doutorado. Acometido de tuberculose ficou impossibilitado de prestar concurso para professor.

Em 1934, entrou para o Partido Comunista Francês, em seguida no Partido do Povo da Argélia, passando a escrever para dois veículos socialistas. Fundou a companhia L’Equipe, onde trabalhou como diretor e ator. Montou peças que foram logo proibidas, entre elas, “Revolta das Astúrias” (1936). Viajou, para Espanha, Itália e Tchecoslováquia, países que são citados em seus primeiros trabalhos: “O Avesso e o Direito” (1937) e “Noces” (1938). Em 1938 muda-se para a França, ingressa na Resistência Francesa e colabora com o jornal clandestino “Combat”. Trava conhecimento com o filósofo Sartre, de quem se torna amigo.

Em 1942, Albert Camus publica seus mais importantes romances “O Estrangeiro” e “O Mito de Sísifo”. Duas peças suas fizeram sucesso depois da libertação do regime nazista: “Le Malentendu” (1944) e “Calígula” (1945). Em 1946 foi aos Estados Unidos e em 1947 publica “A Peste”. Em 1949 visita o Brasil, é recebido pelo adido cultural francês e por Oswald de Andrade. Como historiador e filósofo, escreveu em 1951 “O Homem Revoltado” e em 1956 publica “La Chute”.

Em 1957, Albert Camus recebe o Prêmio Nobel de Literatura, por sua importante produção literária. Seu discurso no banquete oficial e sua conferência aos estudantes da Universidade de Upsala, na Suécia, foram publicados sob o título “Discours de Suède”. O escritor faleceu em Villeblevin, França, no dia 04 de janeiro de 1960, em um acidente de carro, a caminho de Paris.

Acervo: 123 frases e pensamentos de Albert Camus.

Frases e Pensamentos de Albert Camus

Amar é...
sorrir por nada e ficar triste sem motivos
é sentir-se só no meio da multidão,
é o ciúme sem sentido,
o desejo de um carinho;
é abraçar com certeza e beijar com vontade,
é passear com a felicidade,
é ser feliz de verdade!

Albert Camus
11 mil compartilhamentos

Antes, a questão era descobrir se a vida precisava de ter algum significado para ser vivida. Agora, ao contrário, ficou evidente que ela será vivida melhor se não tiver significado.

Albert Camus
10 mil compartilhamentos

Não ser amado é falta de sorte, mas não amar é a própria infelicidade.

Albert Camus
5.1 mil compartilhamentos

Amar uma pessoa significa querer envelhecer com ela.

Albert Camus
2.9 mil compartilhamentos

E no meio de um inverno eu finalmente
aprendi que havia dentro de mim
um verão invencível.

Albert Camus
1037 compartilhamentos