Revoluções, guerras, tormentos e paixões. Os romances históricos podem agregar uma variedade de temas ao reunir momentos históricos e ficção em diversos períodos da humanidade.

Amplamente popular, estas histórias podem passar pelos gêneros medievais, sobrenaturais, dramáticos, românticos, policiais e eróticos para envolver o leitor em um ambiente espetacular e ao mesmo tempo desafiador. Confira a nossa lista dos 12 melhores romances históricos para você se apaixonar ainda mais por esta literatura!

1. O Nome da Rosa - Umberto Eco

pensador-romances-historicos-01

Primeiro livro do escritor e intelectual italiano Umberto Eco, “O Nome da Rosa” é um romance histórico medieval que alavancou o autor ao estrelato . Na história, um frade franciscano e um noviço investigam a misteriosa morte de sete monges em sete dias.

Porque o aprendizado não consiste apenas em saber o que devemos ou podemos fazer, mas também em saber o que poderíamos fazer e talvez não deveríamos fazer.

Umberto Eco, O Nome da Rosa

O amor é mais sábio que a sabedoria.

Umberto Eco, O Nome da Rosa

O ar de suspense medieval do livro foi perfeito para a adaptação aos cinemas. O filme foi lançado em 1987 estrelando Sean Connery e Christian Slater, sendo muito aclamado pela crítica.

2. Orgulho e Preconceito - Jane Austen

pensador-romances-historicos-02

Uma das autoras mais celebradas de todos os tempos, Jane Austen escrevia sobre a classe e o feminino do início do século XIX. “Orgulho e Preconceito” é a epítome de sua obra literária. A novela conta a história da família Bennet, cuja mãe deseja que as filhas realizem bons casamentos para salvarem a família de uma possível falência.

Em vão tenho lutado comigo mesmo; nada consegui. Meus sentimentos não podem ser reprimidos e preciso que me permita dizer-lhe que eu a admiro e amo ardentemente.

Jane Austen, Orgulho e Preconceito

Era necessário deixar suas reflexões para as horas solitárias. Sempre que se encontrava sozinha, entregava-se a elas com alívio.

Jane Austen, Orgulho e Preconceito

A chegada de dois jovens ricos à pequena cidade em que vivem vai mexer com o coração das jovens. Elizabeth, no entanto, precisará desprender do seu orgulho para aceitar a paixão que o Senhor Darcy vem a sentir por ela. A história ganhou várias adaptações desde sua publicação, sendo o filme de 2005, estrelado por Keira Knightley o mais reconhecido nos últimos anos.

3. Guerra e Paz - Liev Tolstói

pensador-romances-historicos-03

Uma das maiores obras-prima da literatura russa, Guerra e Paz retrata a vida de cinco famílias aristocratas russas e as consequências da invasão de Napoleão. Este grande romance histórico é uma análise crítica emocionante de períodos essenciais na história da humanidade no começo do século XIX.

Só podemos saber que nada sabemos. E esse é o mais alto grau de sabedoria humana.

Liev Tolstói, Guerra e Paz

Nada é tão necessário para um jovem como a companhia de mulheres inteligentes.

Liev Tolstói, Guerra e Paz

A história conta com quatro livros e cinco partes totalizando mais de 1200 páginas em sua versão original. Tem que ter fôlego para ler esta grande obra-prima.

4. Jane Eyre - Charlotte Brontë

pensador-romances-historicos-04

Uma das obras essenciais para os amantes dos romances históricos, Jane Eyre apresenta uma crítica rebuscadas da Era Vitoriana, suas morais e a condição da mulher naquele período ao acompanhar sua heroína ao longo de sua vida.

Eu sempre prefiro ser feliz do que digna.

Charlotte Brontë, Jane Eyre

Leitor, casei-me com ele

Charlotte Brontë, Jane Eyre

Os traumas vividos por Jane em sua infância até o amor que nutre pelo Sr. Rochester são retratados com uma linguagem vívida, apresentando vários elementos da literatura gótica. A literatura de Brontë veio a influenciar outros autores importantes tais como James Joyce e Marcel Proust.

5. O Conde de Monte Cristo - Alexandre Dumas

pensador-romances-historicos-05

Um marinheiro preso injustamente buscará vingança após conseguir se livrar da prisão e tomar posse de uma fortuna através do auxílio de um companheiro de cela. Um dos romances mais vendidos de toda a história, O Conde de Monte Cristo conta uma história de amor e vingança no início do Século XIX.

Nos negócios não existem amigos, apenas sócios.

Alexandre Dumas, O Conde de Monte Cristo

Não me tornei orgulhoso, mas me sinto feliz e a felicidade cega, creio, ainda mais do que o orgulho.

Alexandre Dumas, O Conde de Monte Cristo

O livro foi lançado entre os anos de 1844 e 1846 e contou com diversas adaptações para o cinema por sua história intrigante e estimulante. Junto com “Os Três Mosqueteiros”, esta é uma das maiores obras de Alexandre Dumas.

6. Doutor Jivago - Boris Pasternak

pensador-romances-historicos-06

Dando continuidade à tradição da literatura épica russa, Boris Pasternak escreveu o aclamado romance histórico Doutor Jivago. O livro foi amplamente censurado por décadas, por retratar a Revolução Russa através de seu personagem principal: um médico e poeta chamado Yuri Jivago. A grande censura que havia no governo russo em meados do século XX, fizeram inclusive com que o autor recusasse o Prêmio Nobel de Literatura em 1958.

Que maravilhoso estar vivo, ele pensou. Mas por que sempre dói?

Boris Pasternak, Doutor Jivago

Ser mulher é uma grande aventura;
Enlouquecer os homens é uma coisa heróica.

Boris Pasternak, Doutor Jivago

O filme de 1965 ajudou a história a ganhar ainda mais reconhecimento. Ele teve grande sucesso popular e de crítica ganhando na época cinco oscars. O ator Omar Sharif deu vida à Yuri Jivago e seus objetos de afeto Lara foi vivida por Julie Christie e Tonya ganhou vida através de Geraldine Chaplin.

7. O Menino do Pijama Listrado - John Boyne

pensador-romances-historicos-07

Lançado em 2006, o romance de John Boyne tem como pano de fundo os horrores do Holocausto através dos olhos de uma criança. Bruno é o filho de um soldado que se muda com a família para um lugar afastado na Alemanha. Ele vai fazer amizade com um menino preso em um campo de concentração e investigar os verdadeiros trabalhos de seu pai.

A infância é medida por sons, aromas e visões, antes que o tempo obscuro da razão se expanda.

John Boyne, O Menino do Pijama Listrado

Então o cômodo ficou escuro e de alguma maneira, apesar do caos se que surgiu, Bruno percebeu que ainda estava segurando a mão de Shmuel entre as suas, e nada no mundo o teria convencido a soltá-la.

John Boyne, O Menino do Pijama Listrado

A história ganhou uma adaptação cinematográfica em 2008 e recebeu avaliações mistas da crítica especializada. Independente disto, John Boyle criou uma história brilhante e ao mesmo tempo devastadora para um moderno romance histórico.

8. Outlander: A Viajante do Tempo - Diana Gabaldon

pensador-romances-historicos-08

Um dos romances históricos mais celebrados dos últimos anos, Outlander conta a história de uma enfermeira, Claire Randall, que viaja no tempo até o Escócia do século XVIII. O primeiro livro da série foi lançado em 1991 e a série já conta com mais sete livros.

Eu mesmo posso suportar a dor, ele disse suavemente, mas eu não poderia suportar a sua. Isso exigiria mais força do que eu tenho.

Diana Gabaldon, Outlander

Para onde todo amor é, o falar é desnecessário

Diana Gabaldon, Outlander

Uma adaptação para a televisão foi iniciada em 2013 e já foi renovada para a sexta temporada.

9. Guerra dos Mascates - José de Alencar

pensador-romances-historicos-09

Um dos maiores escritores brasileiros de todos os tempos, José de Alencar escreveu diversos romances históricos ao longo de sua vida. Entre eles, encontramos uma de suas obras-prima, A Guerra dos Mascates. O livro se passa na guerra de mesmo nome que ocorreu em Pernambuco entre os anos de 1710 e 1711.

É na idade da ambição que se prova a têmpera dos homens.

José de Alencar, Guerra dos Mascates

O livro possui dois volumes e foi lançado entre os anos de 1873 e 1874. Este é um verdadeiro clássico da literatura brasileira e um brilhante romance histórico para todos que apreciam esta literatura.

10. Belgravia - Julian Fellowes

pensador-romances-historicos-10

Se você é fã da série Downton Abbey e sua ambientação glamurosa da Inglaterra do Século passado, vai se apaixonar pelo romance histórico Belgravia. Ele foi escrito pelo idealizador da popular série e conta a história dos segredos partilhados por duas famílias aristocratas da Inglaterra que tem início com a batalha de Waterloo em 1815.

É melhor ser crédulo do que suspeito.

Julian Fellowes, Belgravia

Eu lutaria contra dragões, andaria sobre brasas flamejantes, entraria no Vale dos Mortos, se achasse que poderia ter uma chance do seu coração.

Julian Fellowes, Belgravia

O livro se tornou bastante popular e foi adaptado para uma série de televisão em 2020.

11. O Perfume: história de um assassino - Patrick Süskind

pensador-romances-historicos-12

Ambientando na França do século XVIII, o romance O perfume conta a história de Jean-Baptiste Grenouille e sua busca incessante pela criação do perfume perfeito através da essência feminina. O protagonista vai matar diversas mulheres neste processo. O livro é uma metáfora para a podridão da sociedade parisiense daquela época e ficou bastante popular desde o seu lançamento em 1985.

As flores devem morrer com seu aroma intacto.

Patrick Süskind, O Perfume: história de um assassino

A alma das pessoas é o cheiro delas.

Patrick Süskind, O Perfume: história de um assassino

O vocalista da banda Nirvana, Kurt Cobain, disse que o livro era o seu preferido e uma de suas músicas Scentless Apprentice é inspirada na história. O livro teve uma adaptação cinematográfica em 2006 com direção de Tom Tykwer.

12. Maurice - E.M. Forster

pensador-romances-historicos-14

Ambientado na Inglaterra do início do Século XX, Maurice conta a história da descoberta da sexualidade entre dois jovens aristocratas em seu período de estudos na Universidade de Cambridge. Questões como a culpa, a repressão e o amor entre dois homens naquele período é contado de forma leve e profunda. E.M. Forster finalizou o livro em 1914, mas devido aos temas, ele só foi publicado após sua morte em 1971.

Você confunde o que é importante com o que é impressionante.

E.M. Forster, Maurice

No final, é isto então: sempre houve pessoas como eu e sempre haverá, e geralmente elas foram perseguidas.

E.M. Forster, Maurice

Uma adaptação para os cinemas foi realizada em 1987 pelo diretor e roteirista James Ivory. A espetacular fotografia e atuações de Hugh Grant e James Wilby tornaram o filme um clássico instântaneo e eternizaram a história de Forster que muitos anos foi repreendida.