O Prêmio Nobel de Literatura de 2019 fez história ao laurear, numa mesma cerimônia, dois escritores. A honraria referente ao ano de 2018 foi entregue a autora polonesa Olga Tokarczuk, e a deste ano ao austríaco Peter Handke.

A Academia Sueca considerou as obras de Olga Tokarczuk como "narrativas cheias de imaginação que com paixão enciclopédica representam a travessia das fronteiras como uma forma de vida". Já o trabalho de Peter Handke foi reconhecido por sua ingenuidade linguística e por "ter explorado a periferia e a especificidade da experiência humana".

Conheça um pouco mais sobre a história e as obras dos dois vencedores.

Conheça Olga Tokarczuk (1962)

Olga Tokarczuk_ Nobel de Literatura 2018_

Olga Tokarczuvk, de 57 anos, nasceu em Sulechów, na Polônia. Filha de pais professores, Olga passava boa parte do seu tempo na biblioteca da escola lendo muitos tipos de livros diferentes. A diversidade literária que se colocava a sua disposição a ajudou a compor o estilo de escrita que atualmente conquista críticos do mundo inteiro.

Depois de se formar em psicologia em Varsóvia, a hoje vencedora do Nobel exerceu a profissão por algum tempo, trabalhando como terapeuta. Apesar de ter posteriormente parado de desenvolver tais atividades por se considerar "neurótica demais", Olga levou os conceitos da psicologia para dentro de seus livros, que carregam um tom místico e abordam acontecimentos históricos e questões culturais relevantes.

Autora de obras de romance, ensaios, e roteiros, a autora ganhou a atenção dos críticos e do público após vencer o Prêmio Internacional Man Booker em 2018, com o romance Bieguni (Os Vagantes, em português).

Os Livros de Olga Tokarczuvk

A autora publicou seu primeiro livro, "A Jornada do Povo-Livro" (Podróż ludzi Księgi), em 1993. A obra era ambientada na França e Espanha do século 17 e narrava a busca dos personagens por um livro misterioso. A publicação foi muito bem recebida pela crítica, mas foi outra obra, "Primeval e outros tempos" (Prawiek i inne czasy), lançada três anos depois, e que conta a história de uma família vivendo na Polônia do século 20, que a consagrou como escritora de sucesso.

Em novembro deste ano será publicada no Brasil mais uma obra traduzida com o título "Sobre os Ossos dos Mortos" (Prowadź swój pług przez kości umarłych). Diversos outros livros de Olga Tokarczuvk ainda aguardam tradução. Aqui estão algumas das principais obras da autora:

  • A jornada do Povo-Livro. Podróż ludzi Księgi (1993)
  • E.E. (1995)
  • Primeval e outros tempos. Prawiek i inne czasy (1996)
  • Casa do dia, casa da noite. Dom dzienny, dom nocny (1998)
  • Os Vagantes. Bieguni (2007)
  • Sobre os Ossos dos Mortos. Prowadź swój pług przez kości umarłych (2009)
  • Os livros de Jacó. Księgi Jakubowe (2014)

As frases icônicas de Olga Tokarczuvk

Frase de Olga Tokarczuk

Minhas raízes sempre foram superficiais; a mais leve brisa sempre poderia me derrubar. Não sei como germinar, simplesmente não possuo essa capacidade vegetal. (...) Minha energia é derivada do movimento.

Olga Tokarczuk

Sabe, às vezes eu acho que estamos vivendo em um mundo que fabricamos para nós mesmos. Decidimos o que é bom e o que não é, desenhamos mapas de significados para nós… E então passamos a vida toda lutando contra aquilo que inventamos para nós mesmos. O problema é que cada um de nós tem a própria versão desse mundo, por isso as pessoas têm dificuldade de entender umas às outras.

Olga Tokarczuk

Desenhar nunca é reproduzir – para poder ver, você precisa saber como olhar e precisa saber o que está vendo.

Olga Tokarczuk

Muitas pessoas acreditam que existe no sistema de coordenadas do mundo um ponto perfeito onde tempo e espaço chegam a um acordo.

Olga Tokarczuk

A psique humana evoluiu para se defender contra a visão da verdade. Para nos impedir de avistar o mecanismo. A psique é o nosso sistema de defesa – ela se certifica de que nunca entenderemos o que está acontecendo à nossa volta. Sua principal tarefa é filtrar informações, mesmo que a capacidade de nosso cérebro seja enorme. Pois seria impossível carregarmos o peso desse conhecimento. Porque cada minúscula partícula do mundo é feita de sofrimento.

Olga Tokarczuk

A verdade é terrível: descrever é destruir.

Olga Tokarczuk

Conheça Peter Handke (1942)

Peter Handke - Nobel de Literatura 2019

Um dos vencedores do Nobel de Literatura de 2019, Peter Handke (1942) é um escritor austríaco com uma vasta produção em vários gêneros literários. Além de ser autor de obras de romance, teatro, poesia e ensaio, também é roteirista e diretor de cinema.

A sua vida é marcada por acontecimentos trágicos que se refletem em sua produção literária. A Segunda Guerra Mundial, que matou parte da sua família, e o suicídio de sua mãe são temas que Handke explora nos seus livros.

Em 1961, aos 19 anos de idade, Handke começou a estudar Direito em Graz, onde conheceu o grupo literário Das Forum Stadtpark e começou a escrever. Quando publicou o seu primeiro romance, As Vespas (Die Hornissen, no original), em 1966, decidiu se dedicar inteiramente à escrita e abandonou a universidade.

A Academia Sueca o aponta como "um dos autores mais influentes de ficção contemporânea" e elogia a sua devoção às artes visuais.

Os melhores Livros de Peter Handke

Uma vez que a lista de obras do autor é extensa, compilamos as mais célebres, para que você possa conhecê-lo um pouco. Destacamos ainda alguns livros, apontados como essenciais para compreender a sua literatura.

Uma tristeza além dos sonhos (Wunschloses Unglück no original e A Sorrow Beyond Dreams na tradução inglesa) é uma obra semiautobiográfica na qual Handke reflete sobre a vida da mãe, seu passado e as razões que a levaram a cometer o suicídio.

Outra obra fundamental, e talvez a mais famosa até à data, é A Mulher Canhota (Die linkshändige Frau, no original), de 1976. A trama segue Marianne, a protagonista, e acompanha o processo de separação e divórcio do marido. O término de relacionamentos e o final do amor é, de resto, um tema bastante explorado na sua literatura. O romance foi transformado em filme, dirigido pelo próprio Handke e lançado em 1977.

Confira o trailer:

Finalmente, Meu ano na baía de ninguém (Mein Jahr in der Niemandsbucht no original e My Year in the No-Man's-Bay na tradução inglesa) é elogiado pela sua descrição brilhante das paisagens, explorando também lugares nunca vistos.

A lista de obras mais importantes do autor (caso você queira já procurar algum para começar):

  • As Vespas. Die Hornissen (1966)
  • Uma tristeza além dos sonhos. Wunschloses Unglück (1972)
  • Uma breve carta para um longo adeus. Der kurze Brief zum langen Abschied (1972)
  • A Hora da Sensação Verdadeira. Die Stunde der wahren Empfindung (1975)
  • A Mulher Canhota. Die linkshändige Frau (1976)
  • Meu ano na baía de ninguém. Mein Jahr in der Niemandsbucht (1994)
  • Numa noite escura saí da minha casa silenciosa. In einer dunklen Nacht ging ich aus meinem stillen Haus (1997)
  • Os Belos Dias de Aranjuez. Die schönen Tage von Aranjuez (2012)

As frases marcantes de Peter Handke

Peter Handke frase

Uma coisa boa: de repente, esquecer a história, o passado, parar de sentir que a felicidade presente está ameaçada pelo que costumava ser.

Peter Handke

O principal: não me deixar definir pela história, não tomá-la como uma desculpa - desprezá-la naqueles que escondem sua insignificância pessoal por trás dela - e ainda a conhecer, para entender as pessoas e, acima de tudo, ver através delas.

Peter Handke

Tenso, nervoso e quase louco antes de escrever - e quando leio o que escrevi, parece tão calmo.

Peter Handke

Eu não era mais superficial - tinha parado de pensar.

Peter Handke

Quando a criança era criança, não sabia que era criança, tudo tinha alma e todas as almas eram uma.

Peter Handke

Se uma nação perde seus contadores de histórias, ela perde sua infância.

Peter Handke

Eu considerei a realidade vulgar. Eu considerei o momento delicioso. Eu considerei a paz preguiçosa.

Peter Handke

Confira outras frases de vencedores do Prêmio Nobel de Literatura