Milan Kunderabiografia

Cerca de 98 frases e pensamentos: Milan Kunderabiografia

O eterno retorno é uma ideia misteriosa e, com elas, Nietzsche pôs muitos filósofos em dificuldades: pensar que um dia tudo vai se repetir como foi vivido e que tal repetição ainda vai se repetir indefinidamente! O que significa esse mito insensato?
O mito do eterno retorno afirma, por negação, que a vida que desaparece de uma vez por todas, que não volta mais, é semelhante a uma sombra, não tem peso, está morta por antecipação, e por mais atroz, mais bela, mais esplêndida que seja, essa atrocidade, essa beleza, esse esplendor não têm o menor sentido. Essa vida é tão importante quanto uma entre dois reinos africanos do século XIV, que não alterou em nada a face do mundo, embora trezentos mil negros tenham encontrado nela a morte depois de suplícios indescritíveis.
Será que essa guerra entre dois reinos africanos do século XIV se modifica pelo fato de se repetir um número incalculável de vezes no eterno retorno?
Sim: ela se tornará um bloco que se forma e perdura, e sua brutalidade não terá remissão.
Se a Revolução Francesa devesse se repetir eternamente, a historiografia francesa se mostraria menos orgulhosa de Robespierre. Mas como ele trata de algo que não voltará, os anos sangrentos não passam de palavras, teorias, discussões, são mais leves que uma pluma, já não provocam medo. Existe uma diferença infinita entre um Robespierre que apareceu uma só vez na história e um Robespierre que voltaria eternamente para cortar a cabeça dos franceses.
Digamos, portanto, que a ideia do eterno retorno designa uma perspectiva em que as coisas não parecem ser como nós as conhecemos: elas aparecem para nós sem a circunstância atenuante de sua fugacidade. Com efeito, essa circunstância atenuante nos impede de pronunciar qualquer veredicto. Como condenar o que é efêmero? As nuvens alaranjadas do crepúsculo douram todas as coisas com o encanto da nostalgia: até mesmo a guilhotina.
Não faz muito tempo, surpreendi-me experimentando uma sensação incrível: folheando um livro sobre Hitler, fiquei emocionado com algumas fotos dele; lembravam-me o tempo de minha infância; eu a vivi durante a guerra; diversos membros da minha família foram mortos nos campos de concentração nazistas; mas o que era a sua morte diante dessa fotografia Hitler que me lembrava um tempo passado da minha vida, um tempo que não voltaria mais?
Essa reconciliação com Hitler trai a profunda perversão, moral inerente a um mundo fundado essencialmente sobre a inexistência do retorno, pois nesse mundo tudo é perdoado por antecipação e tudo é, portanto, cinicamente permitido.

(A Insustentável Leveza do Ser)

Milan Kundera

"[...] 'tenho medo de sentir vergonha.'

'De quem? Você tem uma opinião tão alta assim das pessoas que o cercam para se importar com o que pensam?' [...]".

Milan Kundera

Para um amor se tornar inesquecível é preciso que,
desde o primeiro momento, os acasos se reúnam nele
como os pássaros nos ombros de São Francisco de Assis.

Milan Kundera

O desejo de ser admirado é insaciável.

Milan Kundera

El amor no se manifiesta en el deseo de acostarse con alguien, sino en el de dormir junto a alguien.

Milan Kundera

O seu drama não era o drama do peso, mas o da leveza. O que se abatera sobre ela não era um fardo, mas a insustentável leveza do ser."

Milan Kudera A insustentável leveza do ser
46 compartilhamentos

"Só é grave aquilo que é necessário, só tem valor aquilo que pesa.”

Milan Kundera - A insustentável leveza do ser

A primeira traição é irreparável: ela provoca, numa reação em cadeia, outras traições, sendo que cada uma nos distancia cada vez mais do motivo da traição inicial.

Milan Kundera. A insustentável leveza do ser. 1984, p. 80.

"perder o ser amado não significa deixar de tê-lo ao nosso lado.Graças à memória, ele pode permanescer conosco.Fazer o luto é entender isso.Implica tempo e um trabalho subjetivo que leva à consolação"

Betty Milan

Aceitar o que não dá para mudar é cair na real.

Betty Milan

Mesmo nos momentos da mais profunda desordem, é segundo as leis da beleza que, secretamente, o homem vai compondo a sua vida.

Milan Kundera

"a música é libertadora: ela o liberta da solidão e da clausura, da poeira das bibliotecas e abre-lhes no corpo as portas por onde a alma pode sair para confraternizar-se."

[Milan Kundera in: A insustentável leveza do ser, terceira parte - As palavras incompreendidas, cap. 3: A música. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985]

Milan Kundera

Qualquer pessoa cujo objetivo é "algo maior" deve esperar um dia sofrer vertigens. O que é a vertigem? Medo de cair? Não, vertigem é algo diferente de medo de cair. É a voz do vazio abaixo de nós que nos tenta e atrai, é o desejo de cair, contra o qual, aterrorizados, nos defendemos.

Milan Kundera

O acaso tem suas mágicas, a necessidade, não. Para que um amor seja inesquecível, é preciso que os acasos se juntem desde o primeiro instante, como os passarinhos sobre os ombros de São Francisco de Assis.

Milan Kundera

A história é tão leve quanto a vida do indivíduo, insustentavelmente leve, leve como uma pluma, como uma poeira que voa como uma coisa que vai desaparecer amanhã.

Milan Kundera, in A insustentável leveza do ser

Milan Kundera

O quê toca sua alma é teu também. Guarda!

Fernando Milán

A paixão é imperiosa. Porque não vive-la aproveitando o máximo, já que a morte real existe e a vida é datada. Nós somos “desejo e pó”.

Betty Milan
Inserida por ROBINSONKOURY

Tudo é vivido pela primeira vez e sem preparação. Como se um ator entrasse em cena sem nunca ter ensaiado. Mas o que pode valer a vida, se o primeiro ensaio da vida já é a própria vida? É isso que faz com que a vida pareça sempre um esboço. No entanto, mesmo "esboço" não é a palavra certa porque um esboço é sempre um projeto de alguma coisa, a preparação de um quadro, ao passo que o esboço que é a nossa vida não é o esboço de nada, é um esboço sem quadro.

[Milan Kundera em A insustentável leveza do ser; Primeira parte: A leveza e o peso - Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985, p.14]

Milan Kundera
Inserida por AgnosticaTeista

Numa sociedade rica os homens não têm necessidade de trabalhar com as mãos e se dedicam a atividades intelectuais. Existem cada vez mais universidades e cada vez mais estudantes.

Milan Kundera
Inserida por NaraMinervino

Conceber o diabo como um partidário do Mal e o anjo como um combatente do Bem é aceitar a demagogia dos anjos. As coisas são, evidentemente, mais complicadas.
Os anjos são partidários, não do Bem, mas da criação divina. O diabo, ao contrário, é aquele que recusa ao mundo divino um sentido racional.
O domínio do mundo, como se sabe, é dividido entre anjos e demônios. Contudo, o bem do mundo não implica que os anjos levem vantagem sobre os demônios (como eu pensava quando era criança), e sim que o poder de uns e de outros seja mais ou menos equilibrado. Se existe no mundo muito sentido indiscutível (o poder dos anjos), o homem sucumbe sob o seu peso. Se o mundo perde todo o seu sentido (reino dos demônios), também não se pode viver.

Milan Kundera
Inserida por sebastianbam