Julianna Galvão: Como se o ar fosse insuficiente, como se...

Como se o ar fosse insuficiente, como se o mar fosse raso, como se as plantas falassem, como se não houvesse beleza na delicadeza das borboletas, você disse que... Frase de Julianna Galvão.

Como se o ar fosse insuficiente, como se o mar fosse raso, como se as plantas falassem, como se não houvesse beleza na delicadeza das borboletas, você disse que ficaria. Disse-me além, as mais belas palavras, recitou-me os mais extensos versos de famosas poesias, presenteou-me com os mais calorosos beijos e abraços. Iludiu-me, disse que não existia isso de ilusão, disse até que casaria comigo na chuva, na praia ou na igreja, de véu e grinalda e terno completo ou de sunga e biquíni, casaria. Disse-me bom dia todos os dias, e me beijou sempre antes das seis da tarde. Foi-se. Como o ar que sopra e ajuda a respirar, como a onda do mar, como a água nas plantas, como o colorido das borboletas. Com fogo no meu coração, já não incendiado de paixão e sim de um ódio mórbido e amável. Sem dizer adeus, foi-se.

1 compartilhamento
Inserida por juliannagalvao