Luciano Spagnol - poeta mineiro do cerrado: Penetrália Falei tanto de solidão, de...

Penetrália Falei tanto de solidão, de devaneio De sonhos, galanteios e desgraça Em tudo fugaz, que vem e passa No piscar de olhos, com que veio Tal desventura e... Frase de Luciano Spagnol - poeta mineiro do cerrado.

Penetrália

Falei tanto de solidão, de devaneio
De sonhos, galanteios e desgraça
Em tudo fugaz, que vem e passa
No piscar de olhos, com que veio

Tal desventura e ventura e graça
Choro e riso, a liberdade e o freio
Tão pouca a sorte tive no sorteio
Tudo agridoce tal fogo e fumaça

O autêntico senso, é de mansinho
Penetra na alma, no amor orgulho
Tem olhar manso e melhor carinho

Se vem e devassa, é um engulho
Silencia, no doce poetar, definho
Suspiro, perfurando sem barulho

© Luciano Spagnol
poeta do cerrado
2018, 6 de outubro
Cerrado goiano
Olavobilaquiando

Inserida por LucianoSpagnol