Rafaela Hipólito: ASCENDE QUE EU TÔ SOLTEIRA Ascende essa...

ASCENDE QUE EU TÔ SOLTEIRA


Ascende essa luz negra, porque estou louca para brilhar... e mostrar que não tem mais nada no meu dedo, assim, vou confessar que machuca, dói, choramos, não vou dizer que é fácil, mas são mundos completamente diferentes.
Quando descobri esse mundo de possibilidades, percebi que o leque era bem mais extenso do que pensava. Algumas colegas diziam para mim que a solteirice depois de uma certa idade era como a adolescência sem a interferência dos pais sem a culpa de estar fazendo algo e medo de dar uma boa justificativa para abafar a catástrofe.
Lógico e óbvio que não acreditei, como pode uma mulher já formada em toda a sua essência, comparar as idades, nunca em nenhuma das hipóteses, isso poderia acontecer.
Até que meu mundo caiu quando descobri que estava sendo traída por anos. Não é fácil acreditar que a pessoa que te jurou anos de amor, junto te fez acreditar em anos de mentira. Tá! E você pode dizer: “O que você fez que não fez a mesma coisa?” Ah, fácil dizer até a coisa ficar séria e outras coisas estarei envolvidas, mas ao contrário dele, isso não importava. Era fácil, mas um descuido foi fundamental.
A partir de então separei no meu Planner os dias essenciais onde poderia me soltar e brilhar. Achei que depois do luto procuraria alguém, choraria, cansaria o ombro de minhas amigas e colegas, mas não, pelo contrário, fiquei mais dedica e esforçada, mais alegre e espontânea. Descobri um eu completamente mudado e, muda. Situações de desconforto e puxada de tapete são fundamentais para percebermos que não morremos, o mundo ainda existe, e você, pode ter certeza, está completamente diferente. Não sei como você reage as mudanças, mas minha resiliência está show. Não vou mentir que não pedi ajuda, os divãs ainda me acompanham e acompanharão por muito tempo. Até me darem alta ou perceberem que sou sem solução. E tudo é na infância, mas isso aconteceu agora, eu adulta.
É esse fala- fala de psicanalista.

Então, recapitulando: Quando descobri a traição, meu mundo desabou, fiquei na pior, mas o mundo ainda existia, no caso, ainda existe. Decidi brilhar, em outras palavras, me cuidar. Mudei mesmo... Era trabalho, cuidados estéticos e jogos de sedução - não sou obrigada a querer e dar amor
“Ah, mas o que você está fazendo é um xeque-mate na pessoa errada”
Sim, tem pessoas que não culpadas, mas quando faço isso não é para descontar minha raiva, é brincadeira de adolescente adulta.
Fazer o que né
A lei não proíbe, não tenho perigo de ser presa por estar brincando de amor e, em hipótese nenhuma penso em destruir um casamento.
Linda, livre, leve e solta.
É só pegar uma amiga ou ser levada por umas malucas e se entregar a diversão. Daí, a dor morre por algumas horas e volta, mas elas vão fazer de tudo para você não sentir isso.
Só se prepara e vai para pista. Se doa para música e para si mesma, que a vida não parou.
Mas não se doa para ninguém, se entrega para vida.

1 compartilhamento
Inserida por pensamentoshc