Evan do Carmo: O que vi em tua boca É possível assim...

O que vi em tua boca

É possível assim beleza tanta
Em teu riso esplêndido e mortal?
Numa boca proibida que espanta
A libélula que do mel colheu o sal.

Vestes o manto da divina harmonia
Simetria ideal tão colossal
Se possível ao poeta quem diria
Descrever a tua boca sem igual.

Suplantei ao desejo vil insano
De querer-te nesta noite longa e fria
De abraçar o teu corpo nu, profano
E acordar abraçando a fantasia
Evan do Carmo

1 compartilhamento
Inserida por EvandoCarmo