Marinho Guzman: A novidade passa e acaba. Só o que tem...

A novidade passa e acaba.

Só o que tem essência permanece na lembrança por muito tempo.
Às vezes nos surpreendemos com alguma coisa que nos pareceu muito importante na época e que hoje não nos parece tão bela, tão perfeita como a gente supunha há algum tempo.
Às vezes olhamos para uma foto antiga e nos perguntamos:- Como é que eu fui usar uma roupa assim? Como é que eu gostei de um cara assim? Como é que eu pude ser tão próximo de uma pessoa assim?
Somos reféns das novidades, ainda que inconsciente ou temporariamente, e damos mais valor para a aparência, para a novidade, do que para a essência das coisas ou das pessoas.
O essencial nem sempre é visível aos olhos, às vezes só se vê com o coração.

1 compartilhamento
Inserida por marinhoguzman