Nilton Mendonça: Seda... Eu sei que está difícil. Mas...

Seda...

Eu sei que está difícil. Mas nunca foi fácil pra ninguém. Desde que me entendo por gente que escuto as pessoas se mau dizendo, verbalizando-se descontente e revoltado.
Eu sei que a coisa não muda e estamos sempre na linha de frente e pior encarando o canhão.
Mas, e ai?
Será que não estamos robotizados, fadados ao comum e tendo alguém sempre nos controlando, nos direcionando para onde querem?
Estamos gastando energia em vão. Não seria hora de deixar o jogo deles e cairmos na real pra modular nossa própria frequência, ignora-los seguindo nosso eu interior. Porque que tem que ser assim?
Olha que impressionante. Recebi noticias de uma tia minha que em toda sua vida fora hiperativa, moldada nos maiores dogmas, senhora do seu destino, achando-se a provedora de tudo e todos, e que: Ou era do seu jeito, ou não era de jeito nenhum. Hoje soube que está a mercê de uma cadeira de rodas, praticamente desnorteada e esquecida até de si. Não quero ser mal compreendido em afirmar tudo isso, só enfatizo que na juventude achamos que tudo é pra sempre, nem damos importância que a decadência nos espera ali na esquina cedo ou tarde seremos tudo oque odiaríamos se gozassemos de sanidade.
Mas que louco e paradoxal é mesma essa nossa vida.
Compreendo e dou graças ao Universo agradecer priorizar a vida e não ao que o outro diz ou pensa. Mas veja bem não estou dizendo pra virarmos fantoches em suas mãos, estou reiterando pra simplesmente ``vivermos´´ pois corremos serio risco de em breve ficarmos decrépitos e pior vitimados pelo alzheimer. Digo sempre as pessoas pra pararem de só olhar os defeitos alheios. Além de serem mais visíveis e denotados, são os primeiros a nos estragar perante ao outro. Apenas não seja igual a tantos olhe o lado bom. Ame-se, dê valor a você não derramando energia com insignificâncias.

1 compartilhamento
Inserida por dalainilton