Luciane Fontinele: Viver é morrer.Morrer de ódio a cada...

Viver é morrer.Morrer de ódio a cada momento em que quem se ama deixa aparecer o que não se quer ver, mas até os mais fortes amaram, Deus amou, os maiores reis que já existiram, amaram, e amar essas pessoas que parecem não nos amar é intensamente errado porque ser forte inclui não amar ninguém mas amar é necessário porque viver é necessário.
Ame com raiva, mas ame.Ame pra que um dia se possa olhar pra traz e se possa perceber que a vida foi bem mais que uns momentos, umas lembranças e sim, que a vida foi uma pessoa, um amigo talvez , que simplesmente te tirou do sério e te fez chorar, e você precisou dele pra cessar essas lágrimas mas não podia ligar pra o mesmo, porque era ele/ela o motivo do pranto, então se amanhece um novo domingo e a gente simplesmente volta a ser o que se era antes da briga e só um tempo depois se lembra de que o trato era não mais se falar e sorrimos. Ame com raiva,mas ame.
Amigos são as piores melhores pessoas do mundo. Amigos são antíteses, são contrariedades, porém são essas diferenças que nos fazem tão amigos.
Quem me dera, os poucos amigo que tenho saber que eu realmente me importo com eles, quem me dera que eles percebessem que há um pouco de verdade quando digo que os amo.Principalmente eles, eles.
Não existe propriedade maior que o amor, que desconheço, mas sou capaz de captar a intensidade do mesmo, no sentimento de uns e outros. Esse tal amor que falo não é um rótulo ou umas letras brilhantes no meu rosto que dizem que estou amando, mas sim é uma raiva que sinto e depois uma doente vontade de ligar e escutar a voz de certos. Esse é o meu amor.
E eu não poderia me importar menos com eles, que são realmente parte de mim, que me fazem Luciane ,que me fazem vida.E eu não poderia ser maior e tão diminuta ao mesmo tempo. Eu odeio eles. Amo eles.

1 compartilhamento
Inserida por LucianeFontinele