Stéfano Avelino: Eu nunca tive a pretensão de te roubar...

Eu nunca tive a pretensão de te roubar pra mim, de tirar você do seu espaço da cidade onde cresceu.

Também nunca quis você longe de mim, não depois que perto eu estive.

Eu nunca que falaria pra você: - ou você vem, ou a gente nunca mais vai se encontrar.

Nunca, mas você veio do mesmo jeito, sem jeito, do nosso jeitinho, você quis vir, de jeito manso e na velocidade da luz iluminou meu ser. E acendeu a chama, que até então estava apagada.

Tua chegada veio sem avisar, mas bem que você tentou.

Te expulsei querendo que você ficasse, poxa vida, já sofri tantos maus-tratos com o amor, que era difícil acreditar que o seu era realmente meu.

Enfim deixei-me levar, lavei meu rosto com a água salgada do mar que ardeu um bocado, mas teu sorriso rindo de mim, pra mim, de novo me deu um viver. Você de novo me deu motivos pra acreditar que o amor existe.

Mas ainda me pergunto se existe, porque talvez o que eu sinta por você, seja algo surreal, a mais que amor, ou o próprio amor que eu ainda não tenha sentido.

E você caminhando até mim, ou dizendo longe como muitas vezes está, diz estar com saudades, que me ama, que sou o amor da tua vida, mostra a cada dia que eu posso realmente crer, que o para sempre é o agora, e o agora, é para sempre.

1 compartilhamento
Inserida por StefanoAvelino