Coleção pessoal de silviofagno

1 - 20 do total de 111 pensamentos na coleção de silviofagno

Instante Infinito -

Estou com excesso de palavras presas no peito.
Excesso de vontades vorazes - abraços e beijos não dados - e uma falta gigantesca de qualquer coisa nossa.
É uma canção por terminar, um verso por concluir, um... quase isto.
E, no meio disso tudo, no instante, infinito, que separa a gente, eu quase não existo.

Sílvio Fagno
Tags: poema pensamento

O Filme de Uma Vida -

Ah, esses dias frios: junhos, dezembros e afins.
A vida é um filme: (às vezes um curta, às vezes um longa), que passa em nossa frente e, não há muita escolha: ou você vive esse filme ou ele acaba. E ele acaba.
Você é o diretor, roteirista e ator desse filme. Aproveite!
Faça um longa, escolha os melhores atores para contracenar, os melhores cenários, os melhores temas, a melhor trilha sonora e faça desse filme sua vida.
Um dia, as luzes se apagarão e o público estará em prantos, chorando o final do filme de uma vida.

Sílvio Fagno
Tags: poema pensamento

Não sei qual tamanho teria o meu amor, se quem o recebesse, se permitisse vivê-lo e retribuí-lo.

Sílvio Fagno
Tags: poema pensamento

Sobre Estrelas e Namorados -

E num momento raro de inveja: elas se jogavam.
Se atiravam na imensidão do pequeno instante de um beijo.

Sílvio Fagno
Tags: poema pensamento

Sorte -

Sorte mesmo é ter alguém que sempre percebe seus traços de medo e sussurros de dor, e te acolhe antes do desespero.
Enquanto todos os outros se fingem de cegos, surdos e mudos.

Sílvio Fagno
Tags: poema pensamento

Sobre Encontros e Desencontros -

Vai ter sempre alguém muito especial que a gente vai precisar deixar ir embora. 
Por vários motivos, inclusive por amor (próprio).

Sílvio Fagno
Tags: poema pensamento

Submundo -

Há dias em que nem a Poesia me alcança.

Sílvio Fagno
Tags: pensamento poesia

Realidade nº 01 -

É na hora que se coloca a cabeça no travesseiro - naquele exame de consciência depois de tudo ter sido pensado, dito e feito - que acabam-se os pseudônimos, as máscaras caem, as cascas se quebram, e cada um sabe a medida exata de como está e quem realmente é.

Sílvio Fagno
Tags: pensamento poesia

Dia dos Namorados -

Os rejeitados farão chacota sobre as falsidades públicas.
Os apaixonados declarações sobre amor verdadeiro.
Admitamos: todos têm razão, exceto os poetas, (mesmo sendo todos eles).

Esses, calam-se em versos; berram em pensamentos; acolhem a todos (sem razão).

Para esses, o poema do silêncio é um grito (interno e abafado) - quase ninguém escuta.

Sílvio Fagno
Tags: poema pensamento

Sortida -

Ergue tua cabeça e, de alma íntegra, vai até teu companheiro com amor – sentimento dos fortes - olha-o nos olhos e te doa, verdadeiramente, única.
Ou banha tua alma devassa de lama e, naturalmente, orgulhosa, exalta tua promiscuidade.
Mas, definitivamente, encontra-te.

Sílvio Fagno
Tags: poema pensamento

Pré-adolescência -

Como esquecer a pureza, espontaneidade e intensidade dos primeiros relacionamentos?!
Não, necessariamente, os relacionamentos em si, que, normalmente, são relacionamentos como qualquer outro e, acabam por fim, apenas como estatísticas. Mas os sentimentos ali depositados. Esses são únicos, livres de qualquer interesse, a não ser o de estar com a pessoa amada.
Não sei, mas a malícia do passar dos anos (nos relacionamentos), impurifica os sentimentos. Infelizmente!
Às vezes me pergunto se não são esses, os verdadeiros e mais sinceros sentimentos que sentimos ao longo de nossas vidas?!

Sílvio Fagno
Tags: pensamento poesia

Manequim -

É tanta gente feia em belos corpos ostentados - fugazes e passageiros.
Logo, faltará o que se exibir.
E, só então, ficará, verdadeiramente, à mostra.

Sílvio Fagno
Tags: poema pensamento

O Cinza é Minha Cor Preferida -

Eu esqueci, durante alguns segundos, essa tristeza profunda que bagunça minha morada interna.
Nesses poucos segundos de desatenção, eu respirei livre, sem dor, sem angústia.
Nesse breve estar de leveza, eu não fiz quase nada. Serviu apenas para lembrar-me que, apesar de muito difícil, hora ou outra, sem muita explicação, a vida nos traz traços de felicidade em pequenas e raras porções de paz e tranquilidade.
Aproveite para aprender: há uma saída, ainda que você morra no final.
Sim, meu universo já voltou ao normal.

Sílvio Fagno
Tags: poema pensamento

Um Poema

A frase que nenhum poeta ousou escrever é que: ninguém escapa sem poesia.
E que essa minha inicial (um tanto quanto pretensiosa e, em parte, equivocada), é só um artifício poético para se começar um poema, que, se não protege o poeta, sempre acolhe alguém. Sempre.

Sílvio Fagno

Sobre Ser Poeta

E como é fácil bancar o idiota.
Por mais belas que sejam as palavras.
Por mais intensas que sejam as atitudes.
Por mais sinceros que sejam os sentimentos...
É tão fácil bancar o idiota.

Sílvio Fagno

24 Horas

Não fiz nada demais.
Não aconteceu nada demais.
Só morri mais um dia (a menos).

Sílvio Fagno
Tags: poema pensamento

A vida é aquele pequeno esforço diário para limpar o chão da sala.
E nele cabe tudo.

Sílvio Fagno
Tags: poema pensamento

Sinônimos -

Domingos aos que trabalham.
Segundas aos desempregados.
E que as boas oportunidades apareçam para todos (de alma leve), diariamente.
Amém!

Sílvio Fagno
Tags: poema pensamento

No Fundo -

A gente ouve e vê tanta coisa: conselhos, frases de efeito, reflexões... Coisas, de fato, úteis, necessárias, que, de alguma forma, ajudam, nos mostram algum sentido, alguma luz, alguma direção.
Mas o que, de fato, a gente ouve e vê, ainda é muito pouco, raso, impessoal, impreciso, perto do que, realmente, lá no fundo, a gente sente.
E isso, ninguém explica.

Sílvio Fagno
Tags: poema pensamento

SOMOS COMEÇO, MEIO E FIM -

Estamos aqui porque somos partes disso tudo. Somos começo, meio e fim.
Não podemos fugir dos fatos, do acaso, das consequências - somos partes fundamentais - mas não somos donos absolutos.
Atribuimos os resultados às nossas escolhas, mas não estamos protegidos do acaso desconhecido das forças que regem o universo, (bem ou mal), elas se materializam, muitas vezes no inesperado, no surpreendente, no inexplicável (às vezes lúdico, às vezes trágico).
Somos começo, meio e fim.
O sol nasce, aquece, ilumina e se põe; a flor nasce, perfuma, encanta e se vai. Mas a vida também é dos que sonham, (infinitos sonhos); é do professor e do aprendiz; a vida é das crianças, dos jovens, do senhores e senhoras; a vida é do indispensável, da amizade, do amor.
A vida e tudo aquilo que é parte dela, é imprescindível à ela.
No sopro que é, ela se totaliza. Mesmo breve, se faz completa. E só porque há início, meio e fim.
Um começo, um meio e um fim são inerentes à vida. Porque um começo, um meio e um fim é a síntese, da síntese, ainda que fria, da vida.
A grandeza da vida é proporcional aos seus prezeres e mistérios. Nascer é uma dádiva; viver, estar vivo é o sentido fundamental de nascer; e morrer é o completar natural de um ciclo, a ordem máxima da vida.
O que nos resta se não aceitar e adaptar-se a tudo isso, adiando ao máximo o tempo de morrer sozinho?!
Não nos conformar é preciso, é questão de desejo e vontade de usufruir esse privilégio de estar vivo.
Afinal, somos do ontem, do hoje e do amanhã, mas pertencemos, (na carne), somente ao agora, de fato, um presente.
Porque somos do Tempo, pertencentes a ele, desde o começo, meio e fim.
Boas escolhas e Sorte!

Sílvio Fagno
Tags: começo meio