Coleção pessoal de leaferro

Encontrados 4 pensamentos na coleção de leaferro

Pétalas:

Meu coração se cala diante as coisas perdidas
Não chora, nem sorri.

Fechadas as portas que dão para o mundo
Espia pelas frestas das lembranças
Vê os tons que se aproximam e mudam repentinamente.

Meu coração se cala diante a despedida
Não se acostuma, mas também não reclama,
Apenas inflama diante luares entristecidos
E se resguarda sempre que pétalas caem ao chão.

Meu coração se cala diante as ausências
Como se exilado pro sonho,
Adormece em noite fria, no subúrbio do tempo.


28-04-2008

Léa Ferro
1 compartilhamento

Soneto Entre as folhas:

Entre as folhas caminham ventos
Que encobrem os gravetos caídos da saudade
O humo das terras invasoras se refaz
Em raízes centenárias das imagens esquecidas.

Entre as folhas há palavras para se acreditar
Manhãs em neblina dispersas pela face
Do violeta que faz o dia adormecer
E a noite que se aproxima vem coberta da friagem.

Não há luares em meus dedos mudos
Não vejo o vento, nem o tempo, do qual me escondo
Ver, já não é mais complacência, é outono.

Entre as folhas moram pântanos ousados
Que aflige a poeira dos sonhos lançados ao céu
E não encobre a ferrugem dos olhos assustados.

27-04-2008

www.leaferro.com

Léa Ferro
1 compartilhamento

Ruas de lágrimas:

São lágrimas de sal, as lágrimas do mar
Que escorrem na face da alma silenciada
E o sal arde nas mãos feridas pelo amor.

Cortes que um dia serão apenas cicatriz,
E a marca que ficará na pele envelhecida
Em nada sobressai ao que se faz no peito.

As lágrimas de sal borram o livro empoeirado
A tinta, nas páginas amareladas, se contorce
E desenham as manchas dos olhos cansados.

São lágrimas de sal, as lágrimas da vida
Nos lábios mudos, nos pés descalços, no ventre nu...
E cada rua em deserto molha as horas pardas.

27-04-2008

Léa Ferro
1 compartilhamento

Dentre nós:

Dentre nós
Palavras ondulantes
Hão de caminhar
Carregando sóis
Inebriando
O dom.

Entre nós
Mar, concha e estrela
Hão de formar
As pegadas
Que nos silenciam
Ao lado do som.

E em nós
Formar-se-ão histórias
Para serem lembradas
Ao fim da jornada
Embaladas
Ao tom.


Léa Ferro. SP, 11-07-2009

***

Inverno:

Infinita beleza a que te compõe
Um frio doce, de aroma sereno
Sob a brisa e atrás da nuvem
Na serração que umedece a face
Orvalham-se as flores
Noite e dia...
Ao entardecer e na madrugada.

Nos tons do luar
A noite se acende
Dando vida às estrelas
E prende olhares curiosos
Gelando as águas dos rios
Enfurecendo os mares
Cativando uma nova poesia.

Léa Ferro. SP, 11-07-2009

Léa Ferro
1 compartilhamento