Coleção pessoal de Anaiza3Durval

141 - 160 do total de 150 pensamentos na coleção de Anaiza3Durval

⁠"Quando se tratava de amor, parecia que existia um tipo de conspiração coletiva contra mim."

Anaíza Durval

⁠"Eu já disse o quão irresistível é o som do timbre dele? Poderia jurar que o sinto antes mesmo de vê-lo separar os lábios e escutá-lo."

Anaíza Durval

"⁠Nas noites em que mais vejo estrelas, tento lembrar a mim mesma que várias delas já explodiram há milhares de quilômetros, mas que sua luz continua viajando em direção a Terra.
É reconfortante, mas não deixa de ser triste, porque às vezes estamos distantes de quem amamos, vemos o rastro de luz e pensamos que está tudo bem, quando na verdade não existe mais nada ali, só não nos demos conta disso ainda."

Anaíza Durval

"⁠É divertido pensar que estou fazendo uma espécie de experimento científico toda vez que me apaixono."

Anaíza Durval

⁠"Eu sei, sou estranha e diferente. O ser humano mais bizarro desse universo. Mas não vou negar quem sou, existe a hipótese de que eu encontre alguém tão doido, que acabe combinando comigo.
Por essa mesma razão me identifico com Van Gogh, principalmente quando ele nos diz para "exprimir esperança num punhado de estrelas." Ninguém deveria desistir disso."

Anaíza Durval

"⁠Eu vou dizer a verdade, mesmo que eu pareça rude, mesmo que eu tente embrulhá-la de forma delicada, mas não vou fazer o jogo de mentiras que você faz."

Anaíza Durval

⁠"Como você quer que eu goste de você? Se eu já gosto de você! Mas você não quer que eu goste de você do jeito que eu gosto."

Anaíza Durval

⁠"O céu nublado me encarava, a maioria das pessoas acharia isso melancólico, mas havia um brilho escondido ali, acalentava esperança. Tinha fé de renovar aquela esperança todos os dias, afinal, o ponto é não desistir."

Anaíza Durval

⁠"Eu o vi, desviei os olhos para meu livro e peguei o copo sorrindo. Caminhei o mais rápido que pude, a dor atravessava o meu sorriso e eu não queria que ele visse aquilo."

Anaíza Durval

⁠"Você nunca vai adivinhar o quanto te amei, o tanto que arrisquei, o quanto penei e desejei te abraçar.
Relendo conversas no meio da noite, os beijos secretos nas suas fotos estúpidas, quantas lamúrias e dores, quantas calúnias e tremores.
Meu neurologista estava certo, eu não sei demonstrar e eu sinto demais. Pois aqui dentro nunca cala, sempre há vozes e uma música perdida, mas por fora sou tão muda e fria...
Acho que era por isso que gostava tanto da sua boca tagarela, suas anedotas, céus, até de suas fórmulas. Por isso sempre adorei ouvir pessoas e poderia ter passado uma vida inteira ouvindo o som de sua voz, as citações e confissões, os termos e as objeções.
É... Você nunca vai adivinhar o quanto te amei."

Anaíza Durval